Médica responsável Dra. Maria Paula Del Nero CRM-SP: 74.594 / RQE: 103.535

Saúde & Beleza - Estrias

As camadas mais profundas da pele possuem fibras de colágeno e elastina, que proporcionam a elasticidade e a resistência que a pele precisa para esticar e voltar para o lugar. Quando há uma rápida ou grande distensão cutânea, essas fibras se rompem, causando as estrias. Isso pode ocorrer nas fases de crescimento, de gestação, por aumento de peso, ou “efeito sanfona”: engorda-emagrece.

Inicialmente, essas lesões têm cor rosada, mas com o passar do tempo adquirem um aspecto nacarado ou esbranquiçado. Mais comuns entre as mulheres, por questões hormonais e hereditárias, as estrias costumam aparecer no abdome, nas mamas, coxas e quadris. Os homens não estão completamente imunes ao problema, e os locais mais afetados são dorso, costas e braços.

As tecnologias disponíveis permitem amenizar as lesões, estimulando a formação de colágeno no local afetado e tornando-as quase invisíveis. Quanto mais recente a estria, melhor será o resultado.

Os tratamentos visam estimular a produção de fibras elásticas, como o peeling de ácido retinóico em alta concentração e microdermoabrasão, passando pela aplicação tópica de medicamentos, alguns tipos específicos de lasers, como o de CO2, e radiofrequência fracionada.

Radiofrequência fracionada: Essa energia penetra na pele sem danificar tecidos vizinhos e abaixa o relevo da lesão, além de firmar a pele. Contraindicada na gravidez. Os resultados começam a ser vistos a partir da segunda sessão.

Laser CO2 fracionado: Pode ser usado em estrias recentes (rosadas) e atróficas (esbranquiçadas ou nacaradas). Nas rosadas, atua a partir dos pequenos vasos sanguíneos e estimula a produção de colágeno na área, igualando a pele. Nas esbranquiçadas, provoca a formação do colágeno para preencher e aproximar as bordas das estrias, tornando-as menos evidentes. O laser pode ser associado a formulações tópicas à base de ácidos, potencializando os resultados.

Intradermoterapia: Medicamentos são injetados nas lesões, visando estimular a produção de colágeno.

Microdermoabrasão: Um aparelho com cristais de óxido de alumínio é usado para esfoliar a pele, provocando uma descamação suave e a regeneração das células.

Peeling: Substâncias ácidas são aplicadas por médico no consultório, provocando a coagulação das proteínas da pele e, posteriormente, descamação, clareando a estria e estimulando o colágeno.

Ácido retinóico: Em forma de creme, com indicação e formulação médicas, pode ser aplicado em casa. Provoca descamação, clareando a estria e renovando a pele local.

Laser de Erbium Glass fracionado: Age diretamente na camada superficial (epiderme) e intermediária (derme) da pele, deixando intacto o tecido ao redor. Promove rapidamente a remodelação do colágeno e melhora o aspecto local.

Roller: Microagulhas de um milímetro de comprimento em um rolo giratório de aço inoxidável perfuram a pele para facilitar a penetração de substâncias com fatores de crescimento, estimulando a renovação celular.


bom (0)



COMENTÁRIOS

Utilize os comentários para tirar suas dúvidas ou deixar sua opinião


Não existem comentários cadastrados no momento