Médica responsável Dra. Maria Paula Del Nero CRM-SP: 74.594 / RQE: 103.535

Saúde & Beleza - Flacidez Corporal

Existem dois tipos de flacidez: a muscular (profunda) e a cutânea (superficial). A muscular é causada por sedentarismo, alimentação inadequada, efeito sanfona, famoso, engorda-emagrece-engorda, e exposição solar. Já a cutânea ocorre, principalmente, devido à redução desestruturação das fibras colágenas e elásticas. O resultado é a pele “caída” e com aspecto envelhecido.

O corpo sofre mais com a flacidez muscular e para combatê-la é preciso manter uma alimentação rica em proteínas, atividades físicas anaeróbicas, alimentação balanceada, proteção solar, intervenção cirúrgica ou com tratamentos que estimulem a neocolagênese, ou seja, reverter o “afrouxamento” dessas fibras, com a formação de colágeno e elastina novos. Diferentes terapêuticas podem atingir esses resultados, por meio de estímulos elétricos, térmicos, químicos e associação de tecnologias. Cabe ao médico indicar o procedimento mais adequado para cada caso e idade, considerando contraindicações, expectativas e potencial resultado.

Radiofrequência: É considerado um dos métodos mais eficazes para o tratamento da flacidez. As ondas de radiofrequência geram calor intenso nas camadas mais profundas da pele, causando retração imediata das fibras de colágeno. Durante a sessão, é possível sentir-se uma leve, mas não desagradável sensação de calor. Os resultados são visíveis após a primeira sessão e não é preciso interromper as atividades normais do dia a dia. Posteriormente, a produção de colágeno aumenta, tornando a pele mais firme.

Infravermelho: A luz penetra na pele e aquece seletivamente alguns milímetros da derme, provocando a contração das fibras de colágeno e a “remodelação” da área. Também estimula a produção natural do colágeno. É muito eficaz nas partes do corpo em que os efeitos da força da gravidade e da idade começam a causar ao relaxamento cutâneo.

Ácido poli-L-láctico: Antes utilizado apenas para a flacidez facial, vem sendo empregado com sucesso também para a flacidez corporal. É injetado por meio de agulha no local afetado, melhorando o aspecto e espessura da pele e estimulando o colágeno. É usado principalmente nos joelhos, abdômen e dorso das mãos. As aplicações são feitas mensalmente e o resultado leva de quatro a seis meses após a terceira sessão.

Ultrassom: Atua de forma microfocada e atinge uma profundidade maior da pele, chegando à camada mais profunda da derme. Age por aquecimento, regenerando as fibras musculares e eliminando a flacidez. É um procedimento não invasivo, pouco dolorido com alta taxa de eficiência.

Tecnologias associadas: Vários procedimentos são usados em uma mesma sessão para obter resultados mais rápidos e concentrar o tempo de recuperação.


bom (0)



COMENTÁRIOS

Utilize os comentários para tirar suas dúvidas ou deixar sua opinião


Não existem comentários cadastrados no momento